sexta-feira, 27 de março de 2009

Tiwanaku-Tiahuanaco

Image and video hosting by TinyPic
Tiwanaku (grafias em desuso Tiahuanaco, Tiahuanacu) é um importante sítio arqueológico pré-colombiano situado na Bolívia.
Os Tiwanaku formaram uma importante civilização que floresceu nas proximidades do lago Titicaca, sendo por muitos historiadores considerada como precursora dos incas.

Existem teorias de que o nome tiwanaku teria derivado do termo aimará taypikala que significa pedra no centro, referindo-se à rocha que se situa no meio do lago. Entretanto há de se considerar que os habitantes de Tiwanaku não tinham nenhum idioma escrito.
A cultura de Tiwanaku iniciou-se com uma pequena aldeia aproximadamente no ano 1500 a.C., crescendo e constituindo-se considerável centro urbano entre os anos 300 e 500, daí espargindo sua influência e se tornando um poder regional no sul dos Andes até o ano de 900, quando iniciou sua decadência. Há evidências de que a cidade foi abandonada. Daí em diante desapareceu o estilo artístico que a caracterizava. No ano 1200 a cidade foi abandona devido a secas e escazes de comida, seu império teria desmoronado e seus habitantes teriam abandonado...
As ruínas desta cidade e os sítios arqueológicos mais importantes estão na costa oriental do lago, no lado boliviano, a aproximadamente 72 quilómetros a oeste da capital La Paz.
A cidade cobriu uma extensão máxima de seis quilômetros quadrados e teve no apogeu estimados quarenta mil habitantes. Seu estilo de cerâmica sem igual é encontrado numa vasta área que cobre a moderna Bolívia, Peru, o norte do Chile e a Argentina. No entanto, é difícil dizer se a presença desta cerâmica atesta o poder político desta civilização sobre esta área ou somente atesta sua influência cultural ou talvez apenas meramente comercial.
Tratava-se de uma cultura precursora das grandes construções monumentais da América do Sul que, embora e admiravelmente se utilizasse de grandes de pedras pesando até cem toneladas, as cortavam e requadravam e depois as entalhavam e esculpiam (ou revestiam) para encaixá-las umas às outras com uma precisão e engenhosidade raramente encontradas mesmo na construção monumental inca posterior.
Hoje, após alguns estudos, pensa-se que Tiwanaku poderia ter sido habitada entre 17.000 a.C. a 12.000 a.C.. O principal indício desta tese são as informações astronômicas gravadas da Porta do Sol e o fato de que no local existia um porto para embarcações. Através de mais estudos, alguns estudiosos chegaram a conclusão de que Tiwanaku seria a Atlântida narrada por Platão.
Image and video hosting by TinyPic
A Porta do Sol

É evidente a originalidade do estilo da arte Tiwanaku, mas é perceptível alguma correlação com o estilo da cultura Huari, certo que ambas as culturas definem o período médio do horizonte das culturas pré-incaicas, parecendo que ambas foram precedidas pela cultura Paracas que floresceu na bacia norte do lago Titicaca. Alguns estudiosos afirmam ter encontrado laços com a influência cultural e artística da cultura Chimu.
O sítio arqueológico de Tiwanaku encontra-se num estado lastimável de conservação, já tendo sofrido ao saque de escavadores amadores à cata de preciosidades desde a queda da cidade. Esta destruição continuou no século XIX e início do século XX com acções como a redução das pedras monumentais em britas para a construção de ferrovia e o seu uso como alvo de tiro em exercício militar.
Image and video hosting by TinyPic
Embarcação Inca

Hoje o sítio de Tiwanaku é considerado como patrimônio da humanidade pela UNESCO, administrado pelo governo boliviano.
Curiosidades;

Num dos museus de Tiwanaku, possuem crânios preservados do povo antigo de Tiwanaku, um fato intrigante, é que na civilização Tiwanaku, as crianças que possuíam, inteligência e habilidades superiores as normais, eram escolhidas para serem sacerdotes e sábios, onde desde pequenas recebiam preparação especial, uma delas constituía em uma técnica que se utilizava panos e madeira, que presos à cabeça dessas crianças desde muito pequenas, possibilitavam o aumento do crânio dessas crianças, e eles acreditavam que com isso se tornariam mais inteligentes, com aumento no número de neurônios.
A civilização Tiwanaku, assim como suas sucessoras, possuíam boa técnica de mumificação de corpos, e possuem múmias, tão antigas, e até mais antigas que as egípcias. O que também ajuda para a conservação dessas múmias, é o clima frio e seco.

Descobertas;

Foi encontrado um conjunto cerimonial, onde se plantavam cabeças humanas e de animais, o qual era um símbolo de renascimento e que, acreditavam, traria fertilidade ao solo. Foram encontrados trechos de estrada de 3m de largura. Ofereciam lhamas e alpacas aos deuses (encontrados num templo descoberto em Agosto de 2000), e segundo novas descobertas Tiawanaku teria quase 600km².

quarta-feira, 11 de março de 2009

Stonehenge

Image and video hosting by TinyPic
Stonehenge
Obra dos primitivos povos britanicos, Stonehenge é um exemplo clássico das civilizações megalíticas. Cientistas afirmam que Stonehenge foi construído entre os anos 2800 e 1100 a . C., em três fases separadas:
1ª Fase : (Morro Circular), que conhecemos como o círculo externo de Stonehenge e dos três círculos de buracos, cinqüenta e seis ao todo, que cercam o monumento. As quatro "pedras de estação" que se supõe terem sido utilizadas como um Observatório Astronómico, o objectivo aparente seria observar o nascer e o por do Sol e da Lua, visando elaborar um calendário de estações do ano.
2ª Fase : que iniciou em 2100 a . C., houve a construção do duplo círculo de pedras, em posição vertical no centro do monumento, bem como da larga avenida que leva a Stonehenge e da margem externa das planícies cobertas de grama que o rodeiam.
3ª e última fase, o duplo círculo de pedras foi separado e reconstruído, sendo erguidos muitos dos trílitos.
Ao meditar sobre os mistérios de Stonehenge, vale lembrar que, naquela época, diferentes tribos e autoridades contribuíram para a construção de Stonehenge. Cada um pode ter tido objectivos diferentes para construir o monumento.Os saxões chamavam ao grupo de pedras erectas "Stonehenge" ou "Hanging Stones" ( pedras suspensas), enquanto os escritores medievais se lhes referem como "Dança de Gigantes".
Novos construtores edificaram uma avenida de monólitos que ligava Stonehenge ao rio Avalon a cerca de 3,2 Km de distância. Stonehenge sobreviveu e a sua magia nunca desapareceu. Atribui-se ao mago Merlim o levantamento das pedras, enquanto que a população local acreditou por muitos anos que as pedras tinham poder curativo que, quando transferidos para a água, conseguiam curar todo o tipo de doenças.Durante séculos, Stonehenge foi cenário de reuniões de camponeses e nos últimos 90 anos os "Druidas" modernos celebraram aqui o solstício de Verão.
Image and video hosting by TinyPic
Durante aproximadamente 20 anos, milhares de pessoas se reuniam no local todos os meses de junho para assistirem ao festival que aí tem lugar. Mas em 1985 as autoridades proibiram tanto a vinda dos Druidas como o festival em si, receosas de que as pedras, assim como a paisagem circundante, possam ser danificadas.Os Arqueólogos, no entanto, ainda consideram a hipótese de uma construção religiosa...Acredita-se que Stonehenge e outros sítios megalíticos hajam sido construídos pelos antepassados dos Druidas deste milénio, por acreditarem que fossem lugares de grande força para concretizarem seus rituais...em vez de templos fechados eles reuniam-se nos círculos de pedra, como se vêem nas ruínas de Stonehenge Avebury, Silbury Hill e outros.
A datação pelo carbono-14 mostra que aquelas construções são anteriores à fase clássica do Druidismo. Isto é verdade pois foram construídos logo depois da chegada dos Atlantes. Na realidade foram construídos, e ainda existem centenas de círculos de pedra especialmente na Bretanha e na Escócia.
Do grego: mega = grande, lithós = pedra, de modo que megálitos são grandes monumentos de pedra. Eles podem representar linhas fechadas ( circulares, elípticas, ovóides, etc), alinhamentos retilíneos, ou empilhamentos como as pirâmides egípcias, chinesas e centro-americanas. Eles estão espalhados pelo mundo inteiro: Europa, China, América do Norte e Norte da África sendo os locais mais importantes.Dentre os megálitos, os mais famosos são a Grande Pirâmide de Khufu e Stonehenge.Tanto sobre a pirâmide de Khufu como sobre Stonehenge foram escritos milhares de livros. Isso não é por acaso. A maioria dos historiadores da Antiguidade diria que esses monumentos estão entre as maravilhas do Mundo Antigo. Stonehenge é um megálito formado por círculos concêntricos de pedras (algumas com 45 toneladas e 5 metros de altura), construído na planície de Salisbury, na Grã Bretanha.
Existe evidência arqueológica que nos permite afirmar que havia atividade humana no local há mais de 10 000 anos. Contudo, o megálito propriamente dito só foi iniciado c. 2 100 AC, tendo sido construído em três etapas, entre 2 100 AC e 1600 AC. Para ter uma idéia mais clara de seu plano arquitetônico.Não se sabe quem construiu Stonehenge, sendo que a teoria popular de que teriam sido os druídas está hoje refutada, pois o monumento foi concluído 1 000 anos antes de os druídas tomarem o poder. Contudo, os arqueólogos notaram a quase total ausência de lixo no local e isso é indicador de que o local era solo sagrado.Quanto aos propósitos da construção de uma obra tão difícil para os meios da época é o que passaremos a tratar.
Stonehenge (em Salisbury, sudoeste da Inglaterra) também é palco dos misteriosos Círculos Ingleses(Crop Circles).
Image and video hosting by TinyPic
Alguns pesquisadores passaram a tentar encontrar algumas explicações naturais para desvendar o mistério dos Círculos Ingleses, como fenómenos climáticos inusitados, casualidades meteorológicas e outras hipóteses mais complexas. Esses desenhos (círculos ingleses) costumam aparecer freqüentemente em plantações de trigo, soja, cevada e milho. E esses cereais afetados chegam a se desenvolver muito mais rápido (cerca de 40% mais rápido) no interior dos desenhos do que aqueles mais próximos das bordas.Em quase toda a sua totalidade esses desenhos surgem durante a noite, no meio do silêncio e da escuridão nos campos de cereais e pessoas que acampam nos locais de maior incidência, na expectativa de registrar uma dessas figuras se formando acabam se frustando por passar a noite em claro sem conseguir testemunhar nenhuma luz ou som diferente e em algumas vezes acabam se surpreendendo ao ver com o clarear do dia que a poucos metros de onde estavam acampados apareceu um desenho, misteriosamente como se tivesse sido feito por algum tipo de energia invisível ao olho humano.Existem diversos pesquisadores tentando interpretar o significado dessas figuras, alguns ligando os desenhos a símbolos matemáticos, outros associandos a sistemas astronómicos, além de compara-los a símbologia de civilizações antigas, como Persas, Druidas, Romanos, Celtas, Egípcios...Segundo pesquisadores, esses desenhos (círculos ingleses), devido a sua complexidade, seriam impossíveis de serem feitos pelas mãos humanas. A maior quantidade dos Círculos costumam aparecer em plantações localizadas ao redor do local onde esta erguido o monumento de Stonehenge e outros sítios arqueológicos importantes como Avebury e Silbury Hill.A maior parte dos historiadores que estudaram Stonehenge afirma que o mesmo era usado como uma calculadora de pedra, um verdadeiro computador megalítico com o objetivo de prever o nascimento do Sol e da Lua no solstício e no equinócio. Contudo, existem historiadores que não aceitam os argumentos e dados associados e apresentam outras explicações para a construção desse monumento.
Image and video hosting by TinyPic